Fechar
03/07/2024
Notícias | Institucional

Fundação Grupo Volkswagen celebra 45 anos e anuncia nova estratégia

aqui
  •        Após amplo planejamento estratégico e diagnósticos socioterritoriais, organização direciona seus esforços para combater a desigualdade, sob o propósito "Juntos pela mobilidade social"  
  •        Nos últimos 10 anos, a Fundação Grupo Volkswagen investiu mais de R$ 100 milhões em iniciativas socioeducacionais no Brasil e, em 2024, está destinando mais de R$ 16 milhões em recursos próprios às comunidades
  •        O anúncio do novo posicionamento está alinhado à Agenda 2030 da ONU e foi feito durante o evento em comemoração aos 45 anos da Fundação, que contou com palestras e mesas redondas sobre mobilidade social, investimento social privado, inclusão produtiva, diversidade e combate às desigualdades sociais
  •        Na ocasião, foi apresentada a nova identidade visual da Fundação, cuja marca simboliza o início de uma nova era dedicada a ampliar seu impacto social e a deixar um legado duradouro no Brasil

 

Em um movimento estratégico para ampliar seu impacto social no Brasil, a Fundação Grupo Volkswagen (FGVW) anuncia a Mobilidade Social como sua causa prioritária, marcando um novo capítulo em seus 45 anos de história ? comemorado em 03 de julho. A decisão, fruto de um extenso planejamento estratégico e diagnósticos socioterritoriais empreendidos ao longo do último ano, marca um novo capítulo na trajetória da instituição, que, desde 1979, realiza e apoia ações sociais e educacionais com recursos de um fundo constituído pela Volkswagen. Atualmente, fazem parte dos órgãos de governança da Fundação representantes da Volkswagen do Brasil, Volkswagen Caminhões e Ônibus e Volkswagen Financial Services, além de duas conselheiras independentes. 

 

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (01/07) durante o evento de comemoração dos 45 anos da Fundação Grupo Volkswagen, realizado no auditório do Museu da Imagem e do Som (MIS) em São Paulo (SP). O encontro reuniu convidados que participaram de uma aula magna, mesas redondas e bate-papos sobre temas como mobilidade social, investimento social privado, inclusão produtiva de grupos minorizados, diversidade e combate às desigualdades sociais.

 

Esse novo posicionamento está alinhado com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), proporcionando à Fundação um planejamento estruturado para gerar impacto e deixar legados duradouros. “Sob o propósito 'Juntos pela mobilidade social', redefinimos territórios prioritários de atuação, público-alvo e portfólio de programas e projetos, visando à ampliação do nosso impacto e legado. Nos últimos 10 anos, a Fundação já investiu mais de R$ 100 milhões em iniciativas socioeducacionais no Brasil e, para 2024, estamos aplicando mais de R$ 16 milhões em recursos próprios nas comunidades em que estamos presentes”, afirma Douglas Pereira, Presidente do Conselho de Curadores da Fundação Grupo Volkswagen e Vice-Presidente de Recursos Humanos da Volkswagen do Brasil e América do Sul.

 

Mudança de rota: foco na redução da desigualdade social

 

Mobilidade Social é o processo em que indivíduos ou grupos transitam entre diferentes posições socioeconômicas, podendo subir ou descer na escala social. A Fundação Grupo Volkswagen escolheu essa causa única como resposta ao desafiador cenário brasileiro relacionado a este tema. Isso porque, a desigualdade social e a concentração de renda dificultam a ascensão social da maioria dos brasileiros. O acesso desigual à educação de qualidade e as barreiras no mercado de trabalho são obstáculos importantes.

 

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o 1% mais rico da população brasileira concentra quase um terço da renda nacional. Um estudo do Laboratório das Desigualdades Mundiais da Escola de Economia de Paris, publicado em 2021, revela que a metade mais pobre do Brasil possui menos de 1% da riqueza total, enquanto os 10% mais ricos detêm cerca de 80% do patrimônio privado. Além disso, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) destaca que a mobilidade social no Brasil é uma das mais restritas do mundo, exigindo nove gerações para que os mais pobres alcancem a classe média.

 

“Após 45 anos de história, essa mudança representa um comprometimento ainda maior com a promoção da equidade no Brasil. A concentração de renda e a falta de oportunidades impedem que milhões de brasileiros alcancem todo o seu potencial. Acreditamos que a inclusão produtiva, por meio do empreendedorismo e da empregabilidade, aliada ao fortalecimento das capacidades locais e à assistência social, é o caminho mais efetivo para promover a justiça social e a igualdade de oportunidades no país”, comenta Vitor Hugo Neia, Diretor-Superintendente e de Relações Institucionais da Fundação Grupo Volkswagen.

 

Portfólio de programas e projetos

 

Neste cenário de reposicionamento estratégico, a instituição redefiniu seu portfólio de programas e projetos em um processo que concentrou seus esforços em iniciativas que promovem a inclusão produtiva, com foco na geração de renda; o fortalecimento das capacidades locais para o desenvolvimento comunitário; e a assistência social para o acesso a direitos ? uma conjunção visando a redução das desigualdades sociais.

 

Projetos como "Costurando o Futuro", "Carretas do Conhecimento" e "CO.DE School", focados na inclusão produtiva, foram mantidos e estão sendo reformulados. Editais e ações de voluntariado também estão sendo atualizados para se adequarem às realidades locais. Além disso, novos programas estão sendo planejados, incluindo iniciativas para fortalecer Conselhos Municipais, como o Conselho da Criança e do Idoso, e outras ações voltadas à inclusão produtiva e ao fortalecimento de organizações sociais comunitárias. A estratégia para as comunidades definidas será desenvolvida até 2030, com a implantação dos projetos acontecendo em fases.

 

Atuação concentrada, impacto amplificado

 

Para maximizar o impacto de suas ações, a Fundação definiu três territórios prioritários com base em critérios de vulnerabilidade social e proximidade com as fábricas e unidades de negócio do Grupo Volkswagen no Brasil: São Bernardo do Campo/SP (região do Montanhão), Jabaquara (Favela Alba) em São Paulo/SP, e Resende/RJ (região das Barras). Em São Bernardo, a área do pós-Balsa, que inclui propriedades rurais, comunidades de pescadores e indígenas, também receberá atenção especial. Nessas localidades, serão feitos investimentos significativos e implementados projetos de longo prazo focados em inclusão produtiva, promovendo empregabilidade, empreendedorismo, fortalecimento das capacidades locais e assistência social. 

 

Paralelamente, a Fundação continuará suas atividades em outras regiões onde o Grupo Volkswagen possui presença – Salvador (BA), São Carlos (SP), São José dos Pinhais (PR), Taubaté (SP) e Vinhedo (SP) ?, com iniciativas de mobilização e apoio social, incluindo campanhas de voluntariado, doações e financiamento a projetos comunitários.

 

Já em relação ao público-alvo, a instituição definiu como prioridade mulheres de todas as idades e jovens negros de 16 a 24 anos. A escolha baseia-se nas demandas e características dos territórios de atuação e em estudos que indicam um impacto mais significativo na mobilidade social quando se foca nesses grupos. Em seguida, serão priorizados outros públicos minorizados, como a comunidade LGBTI+, homens negros de outras faixas etárias, comunidades indígenas e pessoas com deficiência. Por fim, será considerada a renda, com foco em famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza. “Assim, diversidade, equidade e inclusão se tornam critérios essenciais para a atuação da Fundação Grupo Volkswagen”, diz Vitor Neia.

 

Novas estratégias, mesmo compromisso

 

A organização tem como principal objetivo gerar um impacto significativo na mobilidade social nos territórios onde atua, de forma sustentável e com a participação ativa das comunidades. Nesta nova fase, os esforços se concentrarão na promoção da inclusão produtiva, criando oportunidades para aumentar a renda por meio da empregabilidade formal ou do empreendedorismo. Além disso, essa estratégia envolve outras duas linhas pragmáticas que se integram e complementam a inclusão produtiva: fortalecimento das capacidades locais, com foco no desenvolvimento comunitário e das organizações sociais de base comunitária, e assistência social para o acesso a direitos.

 

A Fundação adota uma jornada estruturada em diversas etapas para garantir a inclusão produtiva e a mobilidade social de seus públicos prioritários. Inicialmente, são mapeados os interesses, vocações e demandas dos beneficiários e suas comunidades. Em seguida, oferece qualificação profissional adequada, com apoio como bolsas de estudo e materiais necessários, garantindo acesso e permanência nos programas. “A jornada é dividida em etapas bem definidas, desde a qualificação até a entrada e progresso no mercado de trabalho, com suporte adicional para minimizar barreiras no aprendizado. Após a qualificação, também apoiaremos a inserção no mercado de trabalho e acompanharemos os beneficiários para assegurar a permanência e ascensão na carreira, promovendo uma mobilidade social duradoura,” explica Vitor Hugo Neia.

 

Além disso, será implementada uma estratégia para que o empreendedorismo se desenvolva nas regiões atendidas de forma justa e digna, desde a formalização até o crescimento dos negócios comunitários. Dessa forma, a Fundação oferecerá formações que incluem desde aspectos mais básicos, como documentação e precificação de produtos e serviços, até estratégias de marketing digital, impostos e planejamento financeiro, por exemplo. Outro fator importante nesse sentido é o suporte financeiro, que pode se dar por capital semente, iniciativas de microcrédito e outras estratégias de financiamento.

 

Medição de Impacto

 

Como próximo passo para medir o impacto de suas iniciativas, a Fundação Grupo Volkswagen planeja implementar seu próprio Índice de Desenvolvimento Comunitário. Esse índice monitorará indicadores como geração de renda, empregabilidade e surgimento de novos negócios. 

 

“A medição visa não apenas avaliar a efetividade dos projetos, mas também orientar decisões estratégicas sobre a continuidade ou conclusão das atividades da Fundação em determinados territórios no futuro. Essa análise permitirá ajustes e melhorias contínuas, garantindo que os objetivos de mobilidade social sejam alcançados de maneira sustentável, criando legados”, esclarece Vitor Hugo Neia.

 

A Fundação também adotará inovação social, integrando metodologias colaborativas e tecnologias avançadas na co-criação de soluções comunitárias. O objetivo é fortalecer a autonomia das comunidades, permitindo uma transição sustentável em que possam assumir e expandir esse legado com o apoio necessário. 

 

“Medir o impacto a longo prazo é crucial para garantir que não se crie uma relação de dependência das comunidades em relação à Fundação. Em vez disso, a meta é preparar essas comunidades para continuar seu desenvolvimento de forma autônoma, promovendo um ciclo virtuoso de crescimento e independência, sempre com respeito, diálogo e planejamento”, finaliza.

 

Juntos pela mobilidade social: Nova identidade e vídeo manifesto

Ao abraçar a mobilidade social como seu propósito e causa prioritária, a Fundação também atualizou sua marca. A nova identidade visual celebra o legado de sua história e reforça a conexão entre as três novas linhas de atuação: inclusão produtiva, assistência social e fortalecimento das capacidades locais. Juntas, as três linhas do símbolo são a base de uma figura geométrica que remete a uma pessoa de braços abertos. 

 

Além disso, em parceria com a agência de comunicação Grupo Trama Reputale, a Fundação está lançando seu vídeo manifesto que sintetiza a importância da mobilidade social para o Brasil e como a organização atuará a partir de seu novo propósito “Juntos Pela Mobilidade Social”. 

Assista ao vídeo manifesto no canal da Fundação no Youtube da Fundação: https://www.youtube.com/watch?v=_sN0N7TVp5w&t=7s 

 

Sobre a Fundação Grupo Volkswagen  

 

Desde 1979, a Fundação Grupo Volkswagen realiza e apoia ações sociais e educacionais com recursos de um fundo constituído pela Volkswagen. Ao longo destes 45 anos, mais de 3 milhões de brasileiras e brasileiros foram beneficiados pelo trabalho da Fundação, que tem como missão estimular a mobilidade social por meio do investimento em iniciativas e organizações que desenvolvem comunidades e fortalecem o protagonismo dos cidadãos. A Fundação atua para incentivar a prosperidade socioeconômica e o desenvolvimento de indivíduos e comunidades, fortalecendo suas potencialidades e colaborando para o acesso equitativo a direitos e oportunidades. Para isso, prioriza os territórios mais vulneráveis nos municípios com unidades de negócio do Grupo Volkswagen no País. Além disso, apoia tecnicamente ações de responsabilidade social de empresas do Grupo Volkswagen no Brasil. Desta forma, a Fundação espera contribuir para reduzir a pobreza e diminuir as acentuadas desigualdades sociais brasileiras, por meio da inclusão produtiva e de estratégias complementares de fortalecimento das capacidades locais e assistência social. Para saber mais, acesse o site da instituição.   

 

Imagens relacionadas